Chega de desmatamento no Brasil

As florestas são fundamentais para assegurar o equilíbrio do clima, a conservação da biodiversidade e o sustento de milhões de pessoas que dela dependem diretamente para sobreviver. No Brasil elas são responsáveis por grande parte das chuvas que irrigam nossas plantações e que abastecem nossos reservatórios de água.

Florestas também fazem parte da nossa identidade como brasileiros. Elas influenciaram a formação da nossa cultura e nossos mitos. Seu verde está na nossa bandeira e nos nossos corações.

Porém, apesar de toda essa importância, elas continuam sendo devastadas. Apenas na Amazônia brasileira, maior floresta tropical do mundo, já perdemos mais de 720.000 km2 nos últimos 50 anos, uma área equivalente a soma dos estados de Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Tamanha devastação não faz sentido. Nosso país pode se desenvolver sem desmatar. Hoje, com o que já temos de terras abertas, podemos duplicar nossa produção de alimentos sem precisar derrubar mais nenhum hectare de floresta. Podemos ser a primeira nação que se desenvolveu ao mesmo tempo em que soube preservar sua riqueza ambiental, gerando riquezas infinitas com nossas florestas vivas a ainda fazendo disso nosso grande diferencial em relação ao resto do mundo.

Por isso, lançamos uma campanha para levar uma lei de iniciativa popular ao Congresso, para acabar com o desmatamento no Brasil. E para que isso aconteça, precisamos obter 1,4 milhão de assinaturas de eleitores brasileiros, além de gerar um grande movimento nacional em defesa das florestas para garantir sua aprovação.

Faça parte. Assine, compartilhe e ajude a salvar o verde do Brasil.

Por que participar da campanha

No Brasil, as florestas são as grandes responsáveis pelas chuvas que irrigam nossas plantações e que abastecem nossos reservatórios de água. Elas também têm a importante função de purificar o ar, proteger a biodiversidade, manter nossos rios saudáveis e ser uma grande aliada no combate ao aquecimento global. Enfim, são fundamentais para nossa qualidade de vida, desde o ar que respiramos até a comida que vem a nossa mesa, sem contar as milhões de pessoas que dependem diretamente dos recursos florestais para sobreviver.

Porém, o desmatamento já levou embora grande parte desse nosso imenso patrimônio. A Amazônia brasileira perdeu nos últimos 50 anos mais de 720 mil km2, área equivalente à soma das áreas dos Estados de Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Estudos indicam que, caso não seja freado, todo este desmatamento poderá levar a Amazônia a iniciar um processo de colapso, em que a floresta deixaria de existir tal qual a conhecemos hoje, perdendo suas características originais e deixando de prestar os serviços ambientais que são tão importantes para o nosso desenvolvimento.

Aliado ao fato de que já temos terras abertas suficientes para duplicarmos nossa produção de alimentos sem precisar derrubar mais nenhum hectare de floresta, podemos afirmar que desmatar florestas no Brasil não faz sentido. E o desmatamento zero vem exatamente para acabar com este modelo antigo de exploração das florestas baseado na devastação.


Como participar da campanha

Assine a petição;

• Convide seus amigos a participarem, usando suas redes sociais, como Facebook, Twitter e Google+;

Imprima a petição e colete assinaturas na sua escola, trabalho, bairro etc.

Divulgue a petição no seu blog, site etc.

• Informe-se, espalhe a informação e peça para sua família, amigos e conhecidos entrarem na mobilização.


Política de privacidade

Nossa política de privacidade on-line, às vezes, é modificada para atender a eventuais necessidades de reforçá-la. Por favor, verifique esta página periodicamente para saber sobre possíveis mudanças. Ao utilizar o site, o usuário admite que aceita eventuais alterações na política postadas neste endereço.

O Greenpeace e as organizações parceiras na Coalizão pelo Desmatamento Zero acreditam ser fundamental que seu direito à privacidade na internet seja respeitado e nós fazemos tudo o que está ao nosso alcance para assegurá-lo. Essa política inclui todas as páginas que estão hospedadas no endereço www.desmatamentozero.com.br, www.desmatamentozero.org.br.

Isso não se aplica às páginas contidas em sites de outras organizações/instituições que eventualmente possam ter links ou referências em nosso site.

1. Nenhum dado pessoal é coletado em nosso site sem que você o informe, por sua livre e espontânea vontade, por e-mail, participando de alguma de nossas ações virtuais ou ainda pelo preenchimento de nossos formulários de filiação e de cadastramento.

2. A utilização de cookies em nosso site tem a finalidade única e exclusiva de estabelecer estatísticas de acesso, sendo coletados dados sobre provedor de acesso, sistema operacional, navegador (tipo, versão, opções habilitadas e plug-ins instalados), configurações de vídeo (tamanho/resolução e quantidade de cores), data e hora do acesso e páginas vistas. Não captamos informações como endereços de IP ou de e-mail e outros dados pessoais nem instalamos ou ativamos nenhum tipo de programa, vírus, script, trojans ou similares que possam de alguma forma comprometer sua segurança ouinvadir sua privacidade. Tais estatísticas têm por propósito conhecer melhor o público que entra no site e aperfeiçoá-lo cada vez mais, de maneira a adequar a visualização e o acesso ao maior número de pessoas possível.

3. As informações coletadas pelos meios acima descritos só serão usadas pelo Greenpeace e/ou pelas instituições parceiras da Coalizão pelo Desmatamento Zero. Somente funcionários autorizados do Greenpeace têm acesso a essas informações, que irão ser repassadas caso solicitado para algumas das organizações parceiras. Nenhum dado é divulgado, seja em nosso site, seja em nossas publicações, sem que tal possibilidade seja devidamente explicitada no momento de seu fornecimento. Mesmo no caso das seções onde é prevista a divulgação de mensagens, somente o nome e a localidade do remetente são divulgados, não sendo expostos dados como endereços, físico ou de e-mail, ou telefones de contato.

4. Na eventualidade da contratação de agência para distribuição de nosso material, por necessidade ou conveniência, a escolha dela só será feita mediante a garantia de que esta política de privacidade seja devidamente respeitada, além do comprometimento de que as informações fornecidas são de uso único e exclusivo do Greenpeace, não sendo utilizadas em hipótese alguma para outros fins, salvo no caso do item 3 acima.

5. Não enviamos nenhum tipo de material, seja por e-mail, seja por meios físicos de postagem, sem que você opte por recebê-lo e indique tal opção ao preencher algum de nossos formulários.

6. Sempre damos a opção para que você se descadastre das nossas listas de envio de email.

7. Caso tenha preenchido seus dados pessoais e de contato, aceitando receber ligações de nossa equipe de relacionamento, em qualquer página do Greenpeace ou dos parceiros pela Coalizão do Desmatamento Zero, o usuário pode cancelar sua inscrição entrando em contato com nossa equipe de relacionamento através do email relacionamento@greenpeace.org, colocando como assunto do email o título "Cancelamento Recebimento de Ligação". Para facilitar o atendimento, o usuário deve informar no corpo do email seu nome completo, o endereço de email e número de telefone, que foram informados no momento do cadastro. Caso queira, o usuário pode entrar em contato com nossa equipe através dos telefones +55 (11) 3035-1151 ou 3035-1159, de segunda a sexta-feira das 9h00 às 18h00.

8. Você pode solicitar cópia de qualquer informação pessoal que tenhamos a seu respeito a qualquer momento, bem como solicitar a correção ou remoção dessa informação.

9. O Greenpeace respeita o direito de opinião e expressão dos usuários de suas páginas de internet e redes sociais. São vetados, porém, spams e comentários de teor comercial ou ofensivo, bem como divulgações de qualquer natureza não estritamente relacionadas ao tema central em discussão. Tais publicações serão apagadas sem aviso prévio e seus usuários banidos no caso de reincidência da prática.

Essa página segue as regras da Associação Brasileira de Marketing Direto – ABEMD. Conheça-as aqui.